quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Na zona rural de Arara agricultor mata mulher e menina de 9 anos e comete suicídio

Na madrugada desta quinta-feira (30), os moradores do sítio Jucá, no município de Arara, Agreste paraibano, acordaram com a notícia de um crime hediondo. O agricultor José Vicente, de 57 anos, assassinou a dona de casa Maria do Céu Martins dos Santos, de 55, e a sobrinha da vítima, Raiana Adriana dos Santos, de nove anos de idade. Logo depois, o agricultor cometeu suicídio.

Segundo informações de populares, José Vicente não era casado com Maria do Céu, mas os dois viviam juntos há dois anos. Ele havia saído a trabalho para negociar gado. A menina Raiana Adriana, então, foi dormir com a dona de casa, que não gostava de ficar sozinha. O pai da menina, Aloísio Adriano dos Santos, de 46 anos, disse que essa era uma prática comum sempre que Maria do Céu ficava sozinha em casa.

José Vicente teria chegado em casa durante a madrugada e assassinado as duas. Primeiro, ele usou um lençol para enforcar Maria do Céu. Há indícios também de que houve golpes na cabeça da vítima. Depois, ele estuprou e enforcou a criança. Com as duas mortas, o agricultor usou uma corda para cometer suicídio.

O pai da criança, Aloísio Adriano, foi quem primeiro chegou à casa. O corpo da menina Raiana Adriana foi encontrado em um dos quartos e os de Maria do Céu e José Vicente na sala. Os três foram enviados para o Instituto Médico Legal de Campina Grande, já que o município de Arara fica circunscrito na região desta cidade.

A mãe da garota, dona Maria do Carmo dos Santos, de 44 anos, que é irmã de Maria do Céu (na foto com a filha mais velha de Raiana), disse não entender como alguém teve a capacidade de cometer uma atrocidade como essa.

No Alto Sertão paraibano

Outro crime chocou a população paraibana. O agricultor Agamenon de Oliveira Ferreira, de 60 anos, matou a companheira, a doméstica Maria de Fátima Dantas Nunes, de 27, com golpes de foice. O crime teria acontecido enquanto a vítima dormia. A filha da mulher, uma criança de apenas 5 anos, teria presenciado tudo. (assista na reportagem acima)

Segundo informações de familiares, o casal sempre teve problemas com ciúmes, em decorrência da diferença de idade entre os dois. Na noite do crime, Maria de Fátima havia saído com o padastro e a filha. Quando ela voltou para casa com a menina, Agamenon já as esperava e começou, então, a brigar com a companheira. Horas mais tarde, ela a agrediu com uma foice, na frente da criança. Depois de colocar o corpo de Maria de Fátima em uma rede, o agricultor fugiu, deixando as duas trancadas em casa.

O delegado Sílvio Rabelo informou que, apenas na manhã seguinte, a criança abriu a porta e pediu socorro. A polícia entrou e encontrou o corpo da doméstica. A menina foi encaminhada ao psicólogo e ao Conselho Tutelar. O agricultor continua foragido.

Da Redação do Paraiba1
Com informações do repórter Jota Alves

Na frente de Maranhão, durante comício, Quinto de Santa Rita diz que vota nulo, mas não vota em Wilson e Vitalzinho

Tem coisa que não precisa ser dita de tão clara que já é. Como é o caso da rejeição da família Odilon Ribeiro Coutinho em Santa Rita em relação às candidaturas de Vitalzinho e Wilson Santiago, ambos do PMDB, ao Senado Federal.

Mesmo assim, para não ser acusado de falta de clareza, o deputado Quinto de Santa Rita (PMDB), filho do prefeito Marcos Odilon, fez questão de externar o que sente e o que pensa sobre os dois peemedebistas durante comício na cidade ontem à noite.

E na presença do governador José Maranhão (PMDB). Que ouviu tudo e ficou calado. Quinto disse, em pleno discurso, que vota em nulo, mas não votará em Vitalzinho e Santiago. Segundo ele, ambos não cumprem compromissos.

“Um banco vai financiar o mau pagador, que está inadimplente. É o que acontece com os dois em relação a Santa Rita?”, questionou o parlamentar, ao justificar para o blog o porquê da rejeição. “Mas em Zé Maranhão eu voto”, declarou o deputado, no comício.

Foi a terceira vez que Maranhão pisou em Santa Rita nesta campanha. A única cidade em que entra sem os companheiros de chapa, cujos nomes nem sequer podem ser pronunciados pelo governador. Um silêncio que comunica.

Luís Tôrres

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Girassoca arrasta milhares pela Epitácio, em João Pessoa



A avenida Epitácio Pessoa ficou completamente tomada de girassóis na noite desta quarta-feira (29) para homenagear Ricardo Coutinho, candidato ao Governo do Estado da coligação Uma Nova Paraíba, durante a realização da Giraçoca. Além do socialista, o governador de Pernambuco e candidato à reeleição Eduardo Campos também esteve presente, juntamente com Cássio e Efraim, candidatos ao Senado.
Vestidos de laranja, os moradores da Capital confirmam o apoio e apostam na vitória de Ricardo no próximo domingo (3). A aposentada Maria de Lourdes veio à Giraçoca para testemunhar e ter a chance de ver de perto Ricardo Coutinho. "Ricardo é um rapaz especial, fez tanto pela nossa cidade que nem seu dizer o quanto sou agradecida pelo que ele fez na nossa cidade. Tenho certeza absoluta que ele vai ser um bom governador, ele é danado!", disse.
Ana Claúdia, que é estudante, tem 16 anos e vai votar pela primeira vez neste ano. Ela diz que se registrou para ter a oportunidade de votar em Ricardo. "Eu nem sou obrigada, mas eu quero ajudar o meu estado a melhorar e eu sei o que Ricardo pode fazer na Paraíba. Sou beneficiada por muitas das obras dele, incluindo o Terminal de Integração. Não tem como não votar numa pessoa que só traz benefícios para a população", completou.

Percurso - A Giraçoca se concentrou na Praça das Muriçocas e seguiu descendo a avenida Epitácio Pessoa até o Busto de Tamandaré, onde um palanque foi armado para que os candidatos pudessem falar para os presentes.

Assessoria

Lula diz que usam 'cara de pau' para propor 13º para o Bolsa Família

Em comício na noite desta quarta-feira (29) em Aracaju, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu votos para a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, evocando, mais uma vez, a figura de uma mãe para “cuidar” do país e criticou propostas apresentadas pelo candidato do PSDB, José Serra, como um 13º salário para o Bolsa Família e o aumento do salário mínimo para R$ 600.

Sem citar o nome do tucano, Lula afirmou que, quando o programa Bolsa Família, uma das principais vitrines de seu governo, foi criado, diziam que se tratava de uma “esmola”.

“Hoje, os que diziam que era esmola estão até com a maior cara de pau prometendo 13º para o Bolsa Família. Eles pensam que nós somos aqueles eleitores bobinhos de vinte anos atrás. Tem um deles que até está prometendo aumento do salário mínimo. Ora, eles governam o Brasil há 500 anos. Por que não deram aumento de salário mínimo?”, questionou.

O G1 deixou recado no celular do senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), presidente do PSDB e coordenador da campanha de Serra, e aguarda resposta.
G1

Belarmino Mariano Neto recebe título de cidadão guarabirense

O professor Belarmino Mariano Neto, diretor do Campus III da UEPB, foi agraciado com a cidadania guarabirense, em solenidade realizada no plenário da Câmara de Vereadores de Guarabira, semana passada.

A propositura foi de autoria do vereador Beto Meireles (PDT). O parlamentou justificou o título lembrando que Belarmino muito tem feito em defesa do ensino e integrado a academia à sociedade local.

Ao estimado professor o blog externa os cumprimentos e louva a iniciativa do vereador Beto Meireles pela feliz iniciativa.

Jota Alves

Juiz eleitoral rechaça “toque de recolher” em Guarabira

Os preparativos estão sendo ultimados para o dia das eleições em Guarabira, no próximo domingo. Os 20 locais de votação solicitados pela Justiça Eleitoral devem estar à disposição nesta quinta-feira, para que os técnicos do TRE possam instalar as urnas eletrônicas. São 119 seções para 38.002 eleitores aptos a votar em 3 de outubro.

Para garantir a tranqüilidade do pleito 150 policiais militares foram disponibilizados pelo IV BPM e agentes da Polícia Federal já estão em Guarabira.

O juiz eleitoral Bruno Azevedo, que substitui até o próximo dia 8 o titular, Luis Eduardo Cantalice, que está de licença por questões de saúde, disse que a PF vai cumprir seu papel de fiscalizar e assistir o trabalho da Justiça Eleitoral.

Sobre o chamado “toque de recolher”, instituído nas eleições de 2008 em Guarabira, em pleito coordenado pelo próprio juiz, e que gerou episódio de agressões mútuas dos promotores Marinho Mendes e Wildes Saraiva, o magistrado assegurou que nessas eleições não será necessário porque o acirramento é bem menor do que em 2008, quando os dois principais grupos políticos travavam batalha pelo poder.

Jota Alves

Maranhão foge do debate; Nelson e Ricardo discutem propostas

Durante o debate promovido pelas TVs Cabo Branco e Paraíba, os candidatos Ricardo Coutinho (PSB) e Nelson Júnior (Psol) aproveitaram para apresentar suas propostas em áreas como infraestrutura, agricultura, dívida líquida, saneamento básico e habitação. Os dois candidatos não esqueceram, entretanto, do candidato à reeleição José Maranhão (PMDB), que foi convidado para o debate, mas preferiu não participar alegando que já tinha realizado mais de 30 discussões com a sociedade.

Durante o programa, o candidato do PSB, Ricardo Coutinho destacou propostas como a criação de uma linha de crédito destinada aos pequenos agricultores para incentivar o desenvolvimento da agricultura. Já Nelson Júnior prometeu que, se eleito, todo o alimento utilizado na merenda escolar será comprada aos agricultores familiares. Os dois candidatos também se comprometeram a reduzir a dívida líquida do Estado e a desenvolver programas de redução do déficit habitacional na Paraíba.

Ricardo Coutinho prometeu ainda que, se eleito, irá implantar em todo o Estado o 14º salário para trabalhadores de educação de escolas estaduais que alcançarem a meta de qualidade de ensino. Já Nelson Junior, destacou que pretende incentivar a criação de cooperativas em todas as cidades do Estado para que a população comecem a se organizar, produzir mais e assim ter retorno financeiro.

Como estava previsto nas regras do debate, os candidatos que compareceram poderiam fazer perguntas a José Maranhão, mesmo ele estando ausente. O primeiro que destinou uma pergunta a Maranhão foi Ricardo Coutinho. O ex-prefeito da capital afirmou que o peemedebista escreveu uma página inédita na política e criou uma situação “vergonhosa” ao se ausentar do último debate antes das eleições. “Fazendo parte desta fase vergonhosa na política brasileira dentro da Paraíba, o que o senhor pretende fazer nos próximos quatro anos?”, perguntou.
Nelson Júnior também dirigiu perguntas ao candidato à reeleição. “Maranhão, como senhor pretende defender os interesses da Paraíba nos fóruns regionais e nacionais se o senhor se nega a debater com conterrâneos, se não se sente à vontade para debater com seus conterrâneos? O senhor não tem condições de defender a Paraíba, não tem condições de ser governador”, criticou durante o segundo bloco do debate.

O momento de maior tensão entre os dois candidatos que compareceram ao debate aconteceu no quarto bloco quando Nelson Júnior questionou ainda Ricardo Coutinho sobre a aliança feita com o senador (candidato à reeleição) Efraim Morais (DEM). O ex-prefeito de João Pessoa, respondeu alegando que nada foi provado contra Efraim e comparou o democrata à Heloísa Helena (Psol). “Não há nada provado contra Efraim Morais”, declarou. “Fiz alianças para poder desenvolver meus projetos na Paraíba”, complementou.

Quanto à comparação feita entre Efraim e Heloísa Helena, Nelson Junior disse que o ex-prefeito estava sendo desrespeitoso. “Com certeza o povo paraibano não acredita nisto”, disse.

Foram convidados para o debate os candidatos que possuem representação na Câmara Federal, o que é previsto na Lei Eleitoral. Os outros candidatos que concorrem ao governo do Estado são Lourdes Sarmento (PCO), Marcelino Rodrigues (PSTU) e Francisco Oliveira (PCB). O debate começou após a novela Passione e teve quatro blocos. Os candidatos fizeram a partir de temas sorteados, como dívida líquida, saneamento básico e infraestrutura e puderam elaborar também perguntas com temas livres.

Transmissão online

A transmissão do debate também foi realizada ao vivo pelo portal Paraíba 1. Mais de 2.800 pessoas acompanharam a transmissão online que contou com 4.266 comentários de internautas sobre as propostas apresentadas e as discussões. Ao todo, a hastag “#debateredepb” foi mencionada no microblog Twitter 2.667 vezes.

Paraiba1

Justiça declara ilegalidade de pesquisa divulgada pelo Sistema Correio

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba declarou na tarde de ontem que o Sistema Correio de Comunicação cometeu uma irregularidade e ilegalidade ao divulgar pesquisa eleitoral omitindo o nome do candidato ao Senado Federal Cássio Cunha Lima (PSDB) e tendo no seu lugar o nome da sua esposa, Silvia Cunha Lima, que não é candidata a nenhum cargo eletivo.

Na decisão, o juiz Rodrigo Marques Silva Lima, determina a suspensão da pesquisa em respeito ao artigo 3º , parágrafo único do artigo 16 da Resolução 23.190 – 2009, onde diz que a partir de 5 de julho de 2010, o nome de todos aqueles que tenham solicitado registro de candidatura deverá constar das pesquisas realizadas mediante apresentação da relação dos candidatos ao entrevistado.

Ainda foi determinado pelo juiz eleitoral que seja informado à todos os partidos e coligações que a pesquisa ilegal tenha a sua veiculação suspensa em qualquer meio de propaganda eleitoral.

Por fim, a Justiça Eleitoral determinou ao Sistema Correio que publique e divulgue esclarecimentos com o mesmo destaque utilizado na divulgação da pesquisa impugnada por omissão ao nome de Cássio Cunha Lima como uma das opções ao Senado da República.

Cássio disse que os procedimentos dos adversários mostrariam o medo que tem da soberania popular e que "o desespero aumenta cada vez mais, face à iminente vitória do próximo governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB)".

ParlamentoPB

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Retratos do descaso: Com vocês a cadeira do escrivão de polícia da delegacia de Tacima

Socializo com os leitores do blog o flagrante na delegacia de Tacima, cidade onde a bandidagem detonou caixas do Banco do Brasil.

A foto aí em cima é do birô do escrivão. Não me surpreendeu em nada a velha máquina de datilografia com a fita arrebentada e considerável quantidade de lixo na sala do delegado colher os depoimentos dos inquiridos.

Pode acreditar, o que vocês estão vendo trata-se da cadeira do escrivão, que trabalha o dia inteiro “confortavelmente” nessa luxuosa cadeira disponibilizada pela Secretaria de Segurança Pública da Paraíba.

Jota Alves

Moça aparece em Campina Grande vestindo calcinha com a frase: "Maranhão, aqui não"

Aos jornalistas ela disse que a idéia foi de uma amiga dela.

Na campanha deste ano tem de tudo. Uma moça apareceu na tarde deste sábado vestindo uma blusa laranja e uma calça jeans e por cima da calça uma calcinha com os dizeres: “Maranhão, aqui não”.

A moça fez o maior sucesso com sua criatividade e chamou a atenção dos fotógrafos. Por cima da blusa ela trazia adesivos de Ricardo Coutinho e Cássio Cunha Lima.

Fonte: Giropb



Ex-prefeito de Alagoinha Marcus Beltrão está indignado com Roberto Paulino



Ontem, segunda (26), à noite, o candidato do PMDB a deputado federal Roberto Paulino esteve em Alagoinha fazendo uma movimentação política acompanhado dos ex-vereadores Horácio Montenegro e Geraldo Marcolino. Até aí, nada demais.

Acontece que hoje, o ex-prefeito Marcus Beltrão sentindo o baque provocado por Roberto Paulino foi às ruas, no carro de som, criticar duramente o comportamento do candidato a federal do PMDB.

Marcus se dizia indignado com o rateamento, à pulverização do partido por parte daqueles que se dizem peemedebistas e, para piorar sua ira, Roberto Paulino pedia votos ao povo de Alagoinha para ajudar a prefeita Alcione Beltrão a trabalhar muito mais pelo município.

Porém, o PMDB de Marcus Beltrão assumiu compromissos para federal com outro candidato que é do PP.

O vice-presidente do PMDB local, vereador Valter Pimentel, que apóia um estadual do PSB, afirmou numa recente entrevista que o atual presidente do PMDB Marcus Beltrão não é mais líder e sim um “apoiador”, um simples cabo eleitoral na cidade.

Pense num “muído” dos grandes. Nem tudo são flores nas hostes peemedebistas de Alagoinha.

Cid Cordeiro

Bandidos explodem caixas eletrônicos do Banco do Brasil de Tacima


Para não fugir da normalidade, mais um banco é alvo de criminosos na Paraíba. Seis elementos armados explodiram a agência do Banco do Brasil da cidade Tacima, localizada na região do Baixo Curimataú paraibano, na madrugada desta terça-feira (28).

Os homens chegaram em dois carros, armados encapuzados e usaram duas dinamites para explodir a porta de entrada do banco e os caixas eletrônicos. O grupo não se intimidou pelo fato de a agência bancária ficar em frente a delegacia de Polícia Civil.

O sargento Jorge Gonçalves, que estava de plantão, disse ter ouvido a explosão e olhado pela flecha da janela do quarto onde dormia, dentro da delegacia. “Estava eu e um soldado e se tivéssemos saído poderíamos ter perdido nossas vidas. Eram seis homens bem armados e tínhamos apenas um revólver cada”, contou.

O delegado Leonardo Formiga já está trabalhando nas investigações e disse que encaminhará o caso à Polícia Federal. Formiga salientou que a agência bancária não tem sistema de monitoramento com câmeras de filmagem, o que deve dificultar ainda mais a identificação dos criminosos.

No paraíso terrestre da bandidagem tudo acontece sem que o Governo do Estado adote uma medida enérgica para afugentar os marginais da nossa Paraiba.

A gerência do banco não divulgou o montante levado pelos assaltantes.

Jota Alves

Pilõezinhos sofre com descaso da Cagepa e prefeito Júnior cobra providências


Moradores da cidade de Pilõezinhos estão “comendo o pão que o diabo amassou” por causa das constantes falta d’água. Há localidades mais altas que há 30 dias que as torneiras não mijam água, mesmo a fatura vindo todos os meses.

O blog flagrou nesta segunda-feira (27), uma fila com diversas pessoas aguardando para pegar um pouco de água num chafariz, mantido pela Prefeitura Municipal.

O prefeito júnior Mendes, em contato com o blog lamentou o descaso da Cagepa e cobrou providências. “O sofrimento de quem não tem como tomar banho quando chega do trabalho, das donas de casa para os afazeres domésticos, de quem tem crianças de colo é muito grande. Não fosse um poço artesiano que a Prefeitura mantém não sei o que seria dessas pessoas. O Governo do Estado precisa dá uma satisfação ao povo de Pilõezinhos, que paga conta d’água todos os meses”, disse Júnior.

O prefeito ainda me perguntou se podia esculhambar com uma figura que se diz representante do Governo em pilõezinhos, mas foi alertado por causa da legislação eleitoral. Júnior acha que a dita figura não fez nada pela cidade e cruza os braços diante de um problema tão sério com falta de água para matar a sede do povo.

Jota Alves

Legislação eleitoral: prisões estão proibidas durante uma semana

Nenhum eleitor, a partir desta terça-feira (28), poderá ser preso ou detido, a não ser em casos de flagrante, desrespeito a salvo-conduto ou prática de crimes inafiançáveis como tortura, tráfico de drogas e crimes hediondos. A determinação está no Código Eleitoral e será válida até a próxima terça-feira (5), 48 horas após as eleições.

A lei também proíbe a prisão de candidatos, membros da mesa na sessão eleitoral e fiscais de partido. A não ser em casos de flagrante delito e com a análise do juiz competente para verificar a legalidade do ato. Candidatos e pessoas que trabalham nas eleições estão garantidas neste direito desde 15 dias antes do pleito.

Segundo o calendário eleitoral, hoje também é o último dia para os partidos políticos e coligações indicarem aos juízes eleitorais representantes para o Comitê Interpartidário de Fiscalização.

Paraiba1

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Alagoinha: o povo do Sítio Jacaré deu provas do amor pela prefeita Alcione e sua candidata Léa Toscano

À noite o povo tomou contas das ruas para ouvir a prefeita Alcione

Um domingo diferente!

Foi assim que o povo do Sítio Jacaré definiu um dia inteiro de muita atividade com a participação dos vereadores da situação e a prefeita Alcione Beltrão que levou a sua candidata à deputada estadual Léa Toscano.


A alegria era incontrolável

A noite foi apoteótica com uma multidão que prestigiou o comício e deixou a todos emocionados e animados com a disposição do povo para ouvir atentamente todos que usaram da palavra.


Léa com seu jeito simples e carinhoso conquistou Alagoinha de vez

Léa mais uma vez destacou a garra da “baixinha” Alcione na reconstrução cada vez mais visível da cidade de Alagoinha.


A candidata socialista e a vereadora petista juntas pela Paraíba

Cid Cordeiro

Coligação de Ricardo protocola ações que pedem cassação do registro de Maranhão

A coordenação jurídica da coligação “Uma Nova Paraíba” protocola no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba na manhã desta segunda-feira, 27, duas Ações de Investigação Eleitoral (Aijes) contra o candidato a reeleição, governador licenciado, José Maranhão (PMDB), que segundo as pesquisas, deve vencer as eleições no primeiro turno.

Os advogados vão pedir, além da cassação do registro do candidato, a
inelegibilidade por oito anos. Maranhão é acusado pela oposição de uso da máquina pública no processo eleitoral.

As peças tratam sobre os atos de improbidade administrativa e abuso de poder político e econômico e conduta vedada, punível conforme as Leis 64/90 e 9504/97, com as alterações da 135/2010 – a lei ‘ficha limpa’.

A primeira Aije trata da suposta compra de apoios políticos por meio de cargos públicos e formulação de convênios e a segunda diz respeito ao suposto uso excessivo de verba pública em publicidade, além da possível manipulação de pesquisas de opinião pagas com dinheiro do governo do Estado.


Em Campina, Cícero é vaiado durante comício de Serra e Cássio

Presidente do PSDB paraibano, mas contrário à candidatura de Ricardo Coutinho (PSB) defendida por Cássio Cunha Lima, o senador Cícero Lucena recebeu vaias de cassistas que votam com o ex-prefeito durante comício de José Serra, na Praça da Bandeira, em Campina Grande, no início da tarde deste sábado.

Foi quando o nome de Cícero foi citado por Serra. O presidenciável fez referências a Rômulo Gouveia, candidato a vice-governador de Ricardo, e ouviu aplausos. Fez a Efraim Morais (DEM) e ouviu aplausos. Quando citou Cícero ouviu gritos de reprovação dos espectadores vestidos de laranja e amarelo. De pronto, citou Cássio para ouvir novas palmas.

O ex-governador chegou a pedir voto pra Ricardo Coutinho na presença de Cícero. Para muitos, as manifestações contra Cícero são fruto da reprovação do eleitorado anti-maranhista que acusava o senador tucano de beneficiar a candidatura de José Maranhão. “Plantou o que colheu”, disse um cassista campinense, leitor do blog.

No discurso, Serra agradeceu às palavras do ex-governador, dizendo que tinha sido o discurso mais emocionante que já tinha ouvido ao seu favor. Cássio, de fato, foi empenhado. Disse ao povo de Campina que Serra era um “livro aberto” enquanto que Dilma era um “envelope fechado”, que ninguém sabe o real conteúdo.